segunda-feira, 28 de junho de 2010

Mudando de assunto! Falaremos da ... Copa 2010


Olá !
Estou aqui em meu ambiente de trabalho, aguardando o horário do jogo: Brasil x Chile. Estou ao mesmo tempo, acompanhando os posts dos amigos twitteros (@jbatistap) e vendo os resultados escritos em um bolão aqui no meu trabalho. O povo está dividido. Temos aqueles que acreditam fielmente no Brasil. Existe uma outra parcela da população que acredita no Brasil, mas ainda tem um pé atrás. E obviamente têm aqueles que são do contra, mas no fundo gostariam de ver o Brasil campeão.
Estava almoçando e ouvi alguém dizer: "o Chile é minha segunda Pátria". De fato, o Chile é um bom País. Tive a oportunidade de morar lá no ano de 1994. Foi um ano de muito aprendizado e aprendi a gostar daquele povo. Estava até pensando, caso o Brasil perca hoje, vou torcer para o Chile.
Mas por falar em Chile, li ontem no Twitter alguém comentava o seguinte: " O Brasil poderá até ganhar do Chile na Copa, mas perde de feio para outras coisas".
Estava navegando pela internet e lí que o Brasil é o 38º País melhor para se viver. Sabem em que posição ficou o Chile? 31º lugar. A começar por ai, podemos entender porque tal pessoa fazia tal comentário no Twitter. É claro que se formos ver os detalhes, perceberemos que o Brasil ganha em algumas coisas e perde para outras e o mesmo ocorre com o Chile. Mas vamos analisar 3 coisas: Saúde, Educação e Segurança. Será uma análise superficial, pois não temos muito tempo para ficarmos lendo esse blog.

Saúde: Chile

População por médico: 2.170

População por enfermeiro: 2.710

Despesas públicas de saude (% do PIB): 3,4 (1990)

Despesas totais de saúde: (% do PIB): 4,7 (1990)

Saúde: Brasil

População por médico: 670 (1990)

- População por enfermeiro: 6.700 (1990)

- Despesas públicas de saúde (% do PIB): 2,8 (1990)

- Despesas totais de saúde: (% do PIB): 4,2 (1990)


Educação: Chile

Educação

Analfabetos: 6,6% (1990)

Alfabetização de adultos: 93,8 (1992)

Taxa de escolaridade total: 66 (1990)

Média de anos de escolaridade: 7,8 (1992)

Educação: Brasil

- Analfabetos: 20% (acima de 14 anos) (1991)

- Alfabetização de adultos (+ 15 anos): 82% (1992)

- Média de anos de escolaridade (25 +): 4,0 (1992)

- Escolas de ensino fundamental: 198.378 (1992); alunos: 29.953.722 (1992).

- Escolas de ensino médio: 12.445; alunos: 4.068.563.

- Estabelecimento de ensino superior: 873 (1993); alunos: 1.594.668 (1993).

- Despesas públicas (% do PNB): 1,9 (1960); 4,6 (1990).

Economia: Chile

Composição: agricultura: 8,3%; indústria: 34%; outros: 57,7% (1992)

Pesca: 6,5 milhões de toneladas (1992)

Exportações: US$ 10,1 bilhões (1992)

Importações: US$ 9,7 bilhões (1992)

Produto Nacional Bruto (PNB): 29,2 (1991)

Inflação anual: 15,4% (1992)

Dívida externa: US$ 19,3 bilhões (1992)

Força de trabalho (%pop. tot.): 5 milhões (1992)

Desemprego: 4,4% (1992)

Economia: Brasil

- Composição: agropecuária: 11,93%; indústria: 47,47%; serviços: 40,60% do PIB (1994, IPEA).

- Produção agrícola (t): algodão herbáceo (1,8 milhão); arroz (7,4 milhões); cacau (356,2 mil); café (2,5 milhões); cana-de-açúcar (262,6 milhões); fumo (445 mil); laranja (87,6 bilhões de frutos); mandioca (24,3 milhões ); milho (21,3 milhões ); soja (19,8 milhões ) (1989-1990).

- Pecuária: bovinos (152,1 milhões), ovinos (20,1 milhões), suínos (34,2 milhões), aves (597 milhões) (1991).

- Pesca: 798 mil t (1989).

- Exportações: US$ 38,7 bilhões (1993).

- Importações: US$ 25,6 bilhões (1993).

- Produto Interno Bruto (PIB) : US$ 456 bilhões (1993); crescimento do PIB: 4,1% (1993).

- Renda per capita: US$ 3.008 (1993).

- Dívida externa: US$ 145,7 bilhões (1993).

- Força de trabalho: 44 % ; agropecuária: 25%; indústria: 25%; serviços: 47%; mão-de-obra feminina: 36% (1990-1992).

- Desemprego: 5,3% (1993).

- Produção de energia elétrica (Gwh): 229.819 (1989).

- Consumo de energia elétrica: 137,5 (1991).


Os senhores leitores poderão tirar as suas conclusões. Não cabe a mim nesse blog tirar as conclusões para não influenciar a opinião de cada um. A minha única função aqui, além de escrever, é lançar a crucial pergunta: será que hoje, neste jogão de bola, o Brasil vencerá o Chile? Quem vai receber o tiro no pé? Só espero que não seja no nosso, afinal, no Brasil temos muitos tiros sendo dados, a começar com a coligações dos partidos políticos aqui no Paraná!!! Um outro tiro no pé!!1

Um abraço.

Brother