quinta-feira, 20 de abril de 2017

Dê Mais Coração

Olá queridos amigos e seguidores. Tudo bem? Muitas vezes a correria do nosso dia a dia, nos deixam sem muitas chances de parar para escrever e partilhar reflexões, que poderiam nos ajudar em nossa caminhada. Assim aconteceu comigo em relação a este Blog. Mas nunca é tarde para recomeçar. Não prometo atualização diária, mas também não o deixarei mais às traças.

Quero propor para hoje um breve reflexão em relação ao tema do momento: o famoso desafio da Baleia Azul. Em primeiro lugar, gostaria de dizer que a pobre Baleia Azul, não tem nada a ver com isso. É um animal em extinção, devido a caça predatória, e hoje preservada no mundo inteiro. Estima-se em torno de 1.500 baleias no mundo. Para esta barbárie que estão fazendo com a nossa juventude, acho que o nome "Baleia Azul" não faz jus. Sim, sabe-se que é um animal propenso ao suicídio, pois procura as águas rasas do oceano, para morrer, sobretudo quando estão doentes. Porém, outros detalhes dão destaques mais positivos do que negativos. Ela não é um animal feroz. É carnívora, mas não é igual a um tubarão ou a um crocodilo. As Orcas sim, são as famosas Baleias Assassinas. Outro fator em relação a este desafio estapafúrdio, a essa relação descabida é que a Baleia Azul vive em oceanos e geralmente em boas profundidades. Não é um animal que vive no raso. Em contrapartida, a mente das pessoas criadoras do desafio da Baleia Azul, e muitas pessoas que a praticam, são pessoas rasas. Não existe sinal de profundidade, de espírito pleno nessas pessoas. Por isso acho que o animal usado para tal ignorância humana está equivocado: poderia ser um morcego, um crocodilo, uma baleia Orca etc, mas não uma baleia azul.

Nomenclatura à parte, vamos ao que interessa. A principal pergunta é: o que nós, gente do bem e não-rasos, poderemos fazer para ajudar esses adolescentes e jovens que não descobriram ainda a profundidade da vida e vivem no mais raso dos oceanos? O que podemos fazer para que eles não encalhem...ou se já estiverem encalhados na parte rasa do mar da vida, o que podemos fazer?
Tenho visto em várias postagens do Facebook, de grupos de Whatsapp e outras redes sociais, muitas críticas e brincadeiras em relação a esses adolescentes e jovens seguidores do desafio. São adolescentes, jovens normais, como qualquer outro. Enganam-se quem acha que são pessoas doentes; que são adolescentes que não têm nada para fazer ou que precisam de uma boa surra para mudarem de atitudes. As pessoas inteligentes e de bom senso sabem que o caminho não é esse. Simplesmente são pessoas que recebem pouca atenção dos pais, dos amigos, dos professores etc. É impossível um pai, ou uma mãe, ou um amigo ou um professor não perceber num adolescente, por exemplo, que algo está errado com ele. Se lermos os 50 desafios propostos, vamos perceber o número de mutilações e ferimentos que essas pessoas realizam no próprio corpo. Um deles, é na própria palma da mão. Será que ninguém percebe isso? Ou será que muitos adolescentes pulam os desafios e já vão direto para o 50º que é o suicídio? A dúvida é: esses jovens já são propensos a um suicídio sem mesmo aderir ao jogo da Baleia Azul? Estão apenas se aproveitando da situação para posteriormente justificar sua ação? É de se pensar. Outro detalhe que me chama a atenção sobre o perfil desses adolescentes, é que na sua maioria pertencem a classe social mais vulneráveis; jovens que vivem na periferia e estudam em escolas públicas (conforme levantamento feito em Curitiba com os 7 adolescentes que deram entrada nos hospitais na madrugado do dia 18/04). O que isso nos sugere? A cultura não estaria por detrás desses suicídios? Os jogos, os filmes, as músicas, não atraem de certa forma a uma atitude suicida? A falta de atenção, de oportunidades, de lazer, de amigos não ajudam tal comportamento? A sociedade está cheia de pessoas que sabem apenas criticar, mas não são capazes de mover uma agulha para ajudar um adolescente ou jovem a descobrir as águas profundas da vida; não conseguem nem mesmo olhar nos olhos ou caminhar alguns passos juntos. O que falta é atenção. O que falta não é "cinta azul", "chinelo azul" ou outro tipo de violência. O que esses adolescentes e jovens necessitam é de um "coração vermelho", de sangue quente, que emana atenção, carinho e bondade; o que eles precisam é de justiça; de atenção, de oportunidades, de lazer sadio, de palavras sensatas e sinceras; eles precisam de alguém que aponte algum caminho, que mostre que outro tipo de vida é capaz. Sabemos que o índice do suicídio no Brasil e no mundo de jovens, é alto e vão além do desafio da Baleia Azul. Temos alguns casos de suicídio provocados por esse jogo macabro, porém, você se dá conta das centenas de suicídios diários que nada tem a ver com esses desafios? Mas que alguns motivos, por vezes banais, são por causa de bullyings,  de falta de atenção dos pais, falta de amigos etc. Mais uma vez pergunto: o que podemos fazer? Tenho certeza de que existe algo ao nosso alcance. Vamos pensar juntos, vamos nos unir e deixar a barreira do preconceito de lado; deixar nossos pre-julgamentos em relação a essas atitudes; vamos sim fazer a campanha do Coração Vermelho, do Coração Bondoso; vamos ser criativos e fazer uma campanha de adoção: Adote um coração abandonado; uma campanha que leve nossos jovens da beira para o mais profundo; vamos incentivar nossa juventude a crescer, a participar de grupos de jovens; vamos incentivar nossos jovens a ler algo que vai além do Hary Potter ou Narnia; a assistir filmes que agreguem valores; escutar músicas construtivas. Percebam quantas campanhas nós poderíamos fazer juntos. E a dica é: comecem em suas casas. Sente com seus filhos, com seus amigos, com aquelas pessoas que você acha que precisam de um olhar sincero, de uma palavra amiga; leve-o para passear, para ver coisas bonitas da vida;incentive-os a um gesto de carinho, a um ato de solidariedade. Mas não o deixe sozinho. Vá junto, faça junto. As palavras comovem, mas os exemplos arrastam. Vamos fazer voltar para a nossa sociedade o costume da Solidariedade, já em extinção a exemplo da Baleia Azul? Vamos adotar o simbolo do coração para mostrar que somos capazes de oferecer a eles um coração que pulsa e vibra para a vida ao invés de uma cinta ou chinelo azul? Que tal? Topa o desafio?

Inspiração: Campanha que vi em Lisboa. Vejam que sensacional

Campanha Dê Mais Coração - Lisboa



segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Perdido, confuso e vazio: uma motivação.


Muitos jovens estão em crise existencial. Muitos querem desistir depois do primeiro fracasso. São jovens que se sentem inúteis, dentro de uma sociedade que só valoriza o útil. Muitos desses jovens são vazios. Não aproveitam as oportunidades que a vida oferece e vivem ... ou melhor, vegetam nesse mundo. Deixam de vivenciar valores e optam por contra-valores; deixam de viver e vão morrendo aos poucos. Querem tudo muito rápido. Querem passar do 1º ao 3º degrau sem pisar no 2º. Ele pode fazer isso? Claro, mas e as oportunidades que ele perdeu no 2º degrau? Como voltar atrás se o jovem de hoje é muito rápido e quer tudo para o "agora" sem esperar amadurecer o fruto. E quando come o fruto verde, acha ruim e acaba jogando fora.
Estava refletindo sobre nossas potencialidades. O que pensar dos atletas paraolímpicos? Com suas deficiências, desafios conseguem superar muitos obstáculo. Certa vez comentei com um colega, jovem, sobre o sucesso de nossos atletas. Falei sobre aquele nadador, o Daniel Dias que havia sido recordista em medalhas de ouro na natação paraolímpica. Ele, num tom de gozação disse: assim até eu ganho medalha. ou seja... sendo portador de alguma deficiência é mais fácil de se ganhar medalha. Fiquei indignado com tal reposta do meu colega, demonstrando explicitamente o seu preconceito e desprezo por nossos atletas.
Fiquei pensando esse meu colega, com seus membros normais, com duas pernas, dois braços, perfeitos, nadando contra o Daniel Dias. Tenho a certeza de que ele perderia. Pois não tem treino, dedicação e disciplina. Queria estar lá para olhar bem nos olhos desse meu colega e perguntar: e dai, o que deu de errado com o seu "ser perfeito"?
Aproveitei para refletir sobre os meninos do futebol, que levaram ouro. Os atletas são todos cegos. Fiquei impressionado com essa performance dos nossos atletas cegos. Fiquei imaginando a nossa seleção oficial, aquela do Dunga, todos enxergando muito bem... às vezes só não enxergam o gol, a trave... ou melhor só enxergam seus interesses pessoais e o orgulho fala mais alto.
Os nossos jovens, aqueles sem nenhuma necessidade especial, "perfeitos" deveriam tomar como exemplo a garra desses atletas paraolímpicos. Esses nossos atletas devem ser modelos de humildade para nossos jovens que perderam a esperança, a vontade de viver, o amor pela vida e pelas coisas que ela nos oferece. Conheço muitos jovens tristes, perfeitos, porém são cegos, mudos e surdos diante da vida. Jovem, que está ai pensando na vida, sem saber o que fazer, pois não passou no vestibular; que perdeu a namorada ou o namorado; que não vai viajar para Disney devido a alta do dólar; você mesmo que está triste e desgostoso com a vida, preste bem atenção nos exemplos que a vida nos oferece, e faça uma comparação entre esses atletas paraolímpicos e a sua vida. Tire suas próprias lições. Você pode até parar, ir mais devagar, tropeçar e cair, mas DESISTIR NUNCA.



É deficiente físico e há mais de 20 anos pratica atletismo.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

ENCANTAR para DESENCANTAR

O Encanto

Encantar é fazer a pessoa se sentir nas nuvens. Encantar é trazer a admiração, a paixão, o brilho no olhar, o amor, o enamorar-se para bem próximo de si. Encantar, é tirar o coração da solidão e trazer para o meio da roda. Encantar é tudo isso e muito mais.
Estava preparando uma palestra para os jovens da PJM, quando me deparei com a palavrinha ENCANTAR. Ao buscar uma ilustração no Google, joguei as palavras CORAÇÃO ENCANTADO, e o Google me retornou com muitas imagens, mas uma dela me chamou a atenção:

Sim, um coração ENCANTADO é um coração que está no canto. Achei muito engraçado a imagem e a relação que o Google fez. No primeiro momento pensei em descartar essa imagem, mas depois de muito pensar e refletir optei por usá-la. E veio à mente a seguinte reflexão: um coração jogado, abandonado num canto de uma sala. Quer representar os adolescentes e jovens que estão nos grupos, participam de movimentos juvenis, e encontram no grupo um lugar onde partilhar suas dores e angustias. Pense em todas as vezes, que você, animador de grupos, entrou em seu grupo e encontrou adolescentes e jovens assim, como esse coração no canto. Quem sabe precisando de carinho, de uma atenção. E o que fizemos? Conseguimos tirá-lo do canto? Usando a lógica das palavras e suas definições, conseguimos DESENCANTÁ-LO, ou seja, tirá-lo do canto de sua existência? Concluí em minha reflexão, que para DESENCANTAR é necessário ENCANTAR. Por isso, ao entrar em sala de aula, em algum grupo, na sua escola, na sua paróquia, em sua igreja, qualquer que seja a denominação, olhe bem nos cantinhos e procure por adolescentes, jovens e até mesmo adultos DESENCANTADOS, porém jogados num canto, abandonados, necessitando de atenção, carinho e afeto e faça o seu coração pulsionar mais forte. Você tem em suas mãos a possibilidade de fazer feliz uma pessoa, e ao mesmo tempo tornar-se a pessoa mais feliz do mundo. Que tal começar agora a DESENCANTAR as pessoas com o seu ENCANTO?

Um abraço do Brother John

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Ser educado é bom...e todos nós gostamos!

Ser educado é bom...e todos nós gostamos!

No dia 02/04 viajei para Brasília. A viagem não foi das melhores, mas chegamos bem. Em Brasilia, no momento que chegamos, chovia e já passava das 21h30min. A fila para o taxi estava razoável. Mas a chuva atrapalhava o pessoal, afinal o aeroporto de Brasília está sendo ampliado, então vocês imaginam o caos. Na frente duas pessoas esperando a vez para tomarem o seu taxi, e ao lado, fora da fila, um nobre deputado, cujo nome não sei, mas li na etiqueta de sua mala que ele era de Apucarana, PR. 

Ele estava fora da fila e com uma forte tendência para furar e foi o que fez. Alguns chiaram e ele simplesmente resmungou. Ele carregava uma mala preta, dessas de plástico duro, enorme. Não vou comentar e nem pensei no que poderia ter naquela mala... aliás vou comentar sim: ali dentro também não estava estocada educação que ele não tinha e não demonstrou em nenhum momento, porém, acredito que estava repleta de "boçalidade". 
Como estava chovendo, e o porta-malas do taxi estava um pouco na chuva, ele simplesmente ordenou, com certa agressividade e sem educação para o garoto que "organiza" os taxis e passageiros, que ele levasse a mala para o porta-malas, já que o motorista nem se mexeu para fazer isso. O garoto, em sua humildade, ficou onde estava, parado, sem mover um dedo para levar a mala do ilustríssimo deputado. E o nobre deputado simplesmente falou: "ninguém vai levar minha mala?". E não teve jeito, ele mesmo teve que levar até o porta-malas. Quando o taxi partiu, a moça, amiga do garoto disse: que folgado heim? E o garoto disse: pois é, se pelo menos ele pedisse com educação eu faria esse favor a ele.
 
Pois bem, concluo que o a educação, o respeito é bom, e todos nós gostamos. O mais interessante é que todos nós sabemos disso, mas esquecemos de praticar. 
Quer ser ajudado ou receber uma colaboração de alguém? Então, saiba que a educação é uma ótima receita!



segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Até tu Brutus?

Dedico essa mensagem aos Governantes!!!

Professor! Hoje estão todos dando os parabéns para os professores. E muitas críticas ao governo que não valoriza essa profissão, ou seria MISSÃO? Estava eu pensando um pouco no que escreveria hoje e então veio-me a ideia de fazer alguns questionamentos. Leia e reflita!
Por que será que tivemos números recordes de candidatos a vareadores em 2012? O que não vejo são candidatos para o curso de Pedagogia em muitas Universidades. Por que será? Salário? E então eu pergunto: 
Você já viu algum professor ser condenado por estar fazendo parte da quadrilha do mensalão? 
Você já viu professor explodindo bancos eletrônicos?
Você já viu professor escondendo milhares de reais na cueca?
Você já viu professor fazendo leis para aumentar o salário em até 66%?
Você já viu professor usando jatinhos particulares para ir numa festa de um amigo?
Você já viu professor com conta bancária na Suíça ou nas Ilhas Cayman?
Você já viu professor "que não vê nada", "que não sabe de nada"...?
Você já viu professor comprando votos por ai?
Você já viu professor analfabeto ditando leis e normas por ai?
Você já viu professor receber 15º salário?
Você já viu professor com carro, apartamento e viagens e outras despesas pagas por ele ser professor?
Você já viu professor planejar sequestro ou exterminar jovens?
Você já viu professores fazendo parte da milícia?
Você já viu professor usando armas da Polícia?
Você já viu professor bancando Escolas de Samba com dinheiro ilegal?
Você já viu professor desviando verbas destinadas as escolas ou a Saúde?
Você já viu professor trabalhar com o mesmo regime de trabalho dos nossos parlamentares?
Você já viu professor caçado e retornando ao posto depois de alguns meses?
Você já viu professor que sofreu um impeachment e retornou depois como diretor da escola?

O que posso concluir é que o bandido tem vez e direitos... o professor tem que se ferrar!

Agora, tire você a sua conclusão.

Parabéns Professores... parabéns a todos que lutam por uma educação de qualidade e direitos iguais. Parabéns e muito obrigado!!!!